Filme da semana: A Flauta Mágica

flauta magica mozart bergmanA FLAUTA MÁGICA, de Ingmar Bergman, 1975, Suécia.

Prémios BAFTA TV 1976 – Melhor Programa Estrangeiro
Golden Globes 1976 – Nomeação Melhor Filme Estrangeiro

Sinopse: A Rainha da Noite oferece Pamina, a sua filha, a Tamino, mas este terá de traze-la de volta da companhia do seu pai, o sarcedote Sarastro. Dá a Tamino uma flauta mágica e sinos mágicos ao caçador de pássaros Papageno, que segue Tamino e quer arranjar uma esposa. O duo começa assim uma viagem de descoberta e amor.

O Filme, uma adaptação da ópera homónima de Mozart, fala-nos sobre o torpor da humanidade, num hipnótico feitiço de longo tempo, uma idade obscura, e a transição para a luz do esclarecimento, da razão, o novo tempo do Iluminismo. Numa concepção narrativa profundamente enigmática, considera-se esta história como uma exteriorização da forma de ser maçom, intrínseca ao própria Mozart, envolvendo sempre um diálogo entre o obscurantismo medieval, o romance, o fantástico, e a modernidade, numa transição incindível entre tempos históricos radicais.

As três provas de Tamino simbolizam o percurso que a humanidade terá de percorrer rumo à libertação dos dogmas antigos que a amarravam numa existência infeliz. Daí que primeiro haja a necessidade de impor o silêncio, de resistir à tentação da intriga. Depois segue-se a partilha do silêncio existencial com o silêncio sepulcral, a dialética da presença e da ausência. É neste estádio que emerge a sedução, o sonho, o fantasma do amor, um amor que enlouquecer – Pamina chega a ser instigada pela sua mãe, a Rainha da Noite (o tempo medieval) a cometer o parricídio, que não chega a concretizar. Na última das provações de Tamino para alcançar a iluminação, chega a coragem absoluta, o desprendimento do tudo rumo à morte, ao despojamento da individualidade e do egoísmo por causas superiores, metafísicas, por ideias perenes. A descida aos infernos, sob proteção da música – a flauta mágica – é a condição para a ascensão de um novo homem.

Aquele que avança para a luz

Pelo difícil caminho da noite

É purificado pelo ar e pela terra

E pelo fogo e pela água.

Quando a mente é revigorada

E se torna firme e forte como o aço

O caminho fica livre

Para um maior objectivo.

O seu olhar, que até então

Estava encoberto e sombrio

Irá contemplar

O sentido e mistérios da vida

O filme, magnífico, termina, em êxtase, com o triunfo da luz e do amor sobre as trevas e a frialdade do espírito. “A mais obscura das noites é banida pelo sol. A torrente de luz do saber alcançou a escuridão.

Bergman não é apenas património sueco ou europeu, é todo ele pertencente à humanidade! Assim também a ele pertencem as palavras: “salvé os sábios…que não podem ser derrubados“!

Hélder Filipe Azevedo

44864_tmdb

la flauta magica 01



Categorias:Filosofia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

LIVRE - BRAGA

CHAMADA PARA A MUDANÇA

A CASA DOS PENSADORES

Incursões filosóficas, Jurídicas, Políticas e Afins

El vuelo de la lechuza

Publicación humanista de referencia en español

Fujifilm Corporate Blog

Explore the world of Fujifilm

The Insatiable Traveler

Travel inspiration, stories, photos and advice

QWF Writes

Quebec Writers' Federation. Two cents, once a month.

The Daily Post

The Art and Craft of Blogging

The WordPress.com Blog

The latest news on WordPress.com and the WordPress community.

%d bloggers like this: