Sobre a PÁSCOA

imageEste domingo os cristãos celebram a sua festa religiosa mais antiga, a Páscoa. Em espanhol chama-se Pascua, em francês Pâques, em italiano Pasqua, em russo Paskha, em sueco Påsk, em holandês Pasen, tendo todas estas palavras uma origem comum, a palavra latina Pascha, do grego koiné (bíblico) Paskha, que por sua vez vem da palavra hebraica Pesah. Já o conceito em alemão diz-se Ostern e em inglês Easter, portanto, com uma origem etimológica diferente.

Voltando ao conceito hebraico, o que significa Pesah? Literalmente significa “passar”, “saltar”. O segundo livro da Bíblia, o Livro do Êxodo, narra o cativeiro do Povo de Israel no Egipto. O Faraó não queria deixá-lo partir, pelo que Deus enviou dez pragas sobre o Egipto. Enviou, por exemplo, uma praga de gafanhotos e chuvas torrenciais de granizo, que assolaram todo o país, dizimando o gado, que era um elemento fundamental da agricultura e da subsistência do povo. A décima praga era ainda mais cruel: o primogénito de cada família devia morrer. Mas, para perdoar a vida ao povo escolhido, Deus envia uma mensagem aos Hebreus: cada família deve sacrificar um cordeiro e marcar as suas portas com o sangue do animal. Quando o anjo exterminador viesse, executaria os primogénitos das casas sem esta marca. Quando o Faraó, horrorizado, se dá conta que Deus perdoa a vida do povo judeu, deixa-os, por fim, partir. Desde então, Pesah, “Passagem”, é o nome da festa que na Primavera comemora a libertação do povo judeu. E Pesah é a origem da festa cristã da Páscoa. Porquê? Porque segundo os Evangelhos, a Última Ceia (Santa Ceia) de Jesus com os seus discípulos, teve lugar durante a Pesah, festa que Jesus celebrava já que era judeu. Como se sabe, foi durante a Última Ceia que Judas traiu Cristo. A Santa Ceia marca assim o início da Paixão de Cristo que culminaria na Ressurreição.

img_0017A festa cristã da Páscoa, que comemora a ressurreição de Cristo, coincide, mais ou menos, com a Pesah, razão pela qual não só toma o seu nome e o latiniza Pascha, mas também toma o simbolismo judaico do cordeiro. Para os cristãos, o cordeiro sacrificado que liberta com o seu sangue a humanidade é, simplesmente, Jesus. Quanto aos conceitos anglo-germânicos Easter e Ostern, não tem nada a ver com esta raiz hebraica. Hoje os linguistas encontram sentido na primeira sílaba “East” e “Ost” que significam literalmente “Este” (ponto cardeal), o ponto onde nasce o sol. Assim, não há nada mais simbólico do que festejar uma ressurreição.

Hélder Filipe Azevedo, dia 27, do mês de Março, do ano de 2016.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s