A Fantasia do Real: Cai Guo-Quiang e Christo

ladder-1
Sky Ladder, de Cai Guo-quiang

Duas das experiências artísticas mais interessantes do últimos anos – uma de 2015 e outra de 2016 – são da responsabilidade do chinês Cai Guo-Quiang e do búlgaro Christo. O primeiro construiu a famosa Escada para o céu (Sky Ladder), utilizando um balão de ar quente,  metal, pólvora e fogo de artifício, que os chineses usam há mais de 1000 anos. A ideia, conta o autor, veio do cristianismo e do caminho que os fiéis precisam de percorrer para subir ao céu. Foi uma obra que demorou mais de 20 anos a concretizar-se. Quem quiser conhecer mais sobre o autor e a obra, há, no Netflix, um documentário magnífico sobre isto.

Quanto ao artista búlgaro Christo, também influenciado por um episódio da religião cristã, mais propriamente da vida de Jesus Cristo, quando este caminhou sobre a água, decidiu instalar uma passadeira flutuante no Lago Iseo, no norte de Itália. Foram mais de 100 mil metros quadrados, construídos à base de cubos de polietileno, estendidos sobre o lago fazendo a ponte entre diversas ilhas e localidades. Milhares de privilegiados puderam, gratuitamente, caminhar sobre a água e sentir, porventura, a transcendência de quem supera o abstrato, a imaginação e a fantasia.

17christoitem-superjumbo
The Floating Piers, de Christo e Jeanne-Claude

Foram – no passado, porque esgotaram-se no seu efeito temporário – duas obras absolutamente fascinantes. Ficam as imagens para contemplarmos com espanto e deslumbre.

© Hélder Filipe Azevedo, 2016

Licenciado em Filosofia pela Universidade do Minho. Pós-graduado em Ética e Filosofia Política pela Universidade Católica Portuguesa. Pós-graduado em Direitos Humanos pela Universidade do Minho. Licenciando em Direito pela Universidade do Minho.

Leave a Reply