ARTHUR RIMBAUD: Cartas de África

9788493856878Livro: RIMBAUD, Arthur, Lettere dall’Africa. Edizioni Nuages, 1991.

Mais qui sait combien peuvent durer mes jours dans ces montagnes-ci? Et je puis disparaître, au milieu de ces peuplades, sans que la nouvelle en ressorte jamais.

Magnífica coletânea das cartas do poeta Arthur Rimbaud, com ilustrações de Hugo Pratt (Corto Maltese), escritas durante a sua estadia em África, mais propriamente em Harar, na Etiópia.

As cartas denotam uma espécie de viagem transcendental, que vai do purgatório ao inferno, num poeta considerado maldito que tentou reconstruir permanentemente a sua trágica e escandalosa vida. A materialização de um sonho, a realização de um idealismo, é, muitas vezes, uma transposição brutal entre dois estádios existenciais antagónicos. A vida de Rimbaud é toda essa tragédia de quem, perdido no mundo, em angústia, quis viver na totalidade. Foi atormentado por essas doenças do espírito que enlouquecem um homem.

Na última carta, o desolado e conformado Rimbaud responde a sua mãe: “Não vos assusteis com tudo isto. Virão dias melhores. É uma triste recompensa depois de tanto trabalho, de tantas privações e de tantas penas. Ah, que miserável é a nossa vida!“.

Rimbaud morre a 10 de Novembro de 1891, doente e sozinho, em Marselha, depois de duas infrutíferas tentativas de retornar à sua amada Etiópia. Legou-nos contudo uma poesia misteriosa e profundamente inquietante. É uma das grandes referências dessa estrutura conformadora, vital, a que damos o nome de cultura europeia.

©Hélder Filipe Azevedo, 2017

 

Licenciado em Filosofia pela Universidade do Minho. Pós-graduado em Ética e Filosofia Política pela Universidade Católica Portuguesa. Pós-graduado em Direitos Humanos pela Universidade do Minho. Licenciando em Direito pela Universidade do Minho.

Leave a Reply