Dióspiro, o fogo dos deuses.

É um facto. O dióspiro é o meu fruto predilecto. E é muito curiosa a palavra Dióspiro. É uma palavra composta por dois étimos gregos: dios (Διος), que significa deus, e a palavra pyros (Πυρος), que significa fogo (de onde derivaram as palavras portuguesas pirómano ou pirotecnia). Então, o Dióspiro é o fogo de Deus ou o fogo dos deuses. Essa referência talvez provenha da própria cor do fruto, um laranja avermelhado, como aquele sol que se põe numa noite quente de verão, e como se fosse moldado na lava, no interior de um vulcão, com as suas diversas tonalidades de fogo. E o seu néctar de sabor adocicado que nos escorre pelos lábios e se cola à pele deixando um aroma leve, de outro mundo, uma marca que nos eleva e nos transporta ao divino…! Talvez, quem sabe, esse fogo roubado a Héstia, pelo titã Prometeu, não fora mais do que um dióspiro, o doce e quente alimento de Zeus, que encerra em si mesmo, e no seu nome, todo um mistério.

Fotografias de um diospireiro tiradas hoje, 14.XII.2018, em VN Famalicão.

Licenciado em Filosofia pela Universidade do Minho. Pós-graduado em Ética e Filosofia Política pela Universidade Católica Portuguesa. Pós-graduado em Direitos Humanos pela Universidade do Minho. Licenciando em Direito pela Universidade do Minho.

Leave a Reply